Arquivo do mês: outubro 2009

E vem aí Fhátima Santos no Projeto Clube do Choro Recebe, edição de número 100


Fhátima Santos, a convidada da centésima edição

No próximo sábado, dia 31 de outubro, o Projeto Clube do Choro Recebe completa a centésima edição. Já são mais de dois anos de atividades do Projeto, que reúne o Choro, enquanto a grande linguagem instrumental brasileira, com toda a riqueza e diversidade musical e cultural do Maranhão, do Brasil e até do planeta. Já tocaram por lá argentinos, norte americanos, mineiros, paulistas, gaúchos, cariocas, candangos, dentre outros estrangeiros.

O palco deste humilde projeto já recebeu, como é sua proposta, até pelo nome que ostenta, alguns dos maiores nomes da nossa música, entre compositores, compositoras, cantoras, cantores e instrumentistas. Nomes consagrados nacionalmente, outros jovens que despontam na nosssa cena musical. Gente de diferentes informações e influências, tratada com todo respeito, abertura e incentivo, tornando o Clube do Choro uma espécie de caldeirão musicultural, o que tem despertado na nova produção musical do Maranhão resultados já percpetíveis. Seja em novos projetos musicais que surgem, inspirados no Clube do Choro Recebe; seja no surgimento de novos palcos para a música instrumental na Ilha, algo, até bem pouco tempo, raro por aqui; seja na incorporação do choro como repertório ou como influência estética de novos nomes que estão surgindo.


instrumental Pixinguinha, o grupo anfitrião

Tudo isso por si, já bastaria para justificar um projeto como este, mas seus resultados vão além. Do ponto de vista da economia da música, deu uma mexida no mercado musical para a música instrumental em São Luís. E poderíamos falar de toda a cadeia produtiva da música que o projeto impactou. Desde os músicos, produtores, garçons, jornalistas, “vigias” de carro, proprietários de bares, enfim.

Só entre cachês dos músicos, prolabore de jornalista e produção, aluguel de som e ECAD (direitos autorais), que são as despesas que o projeto paga diretamente, por baixo, o projeto movimentou cerca de 140 mil reais. Isso sem falar dos outros elos da cadeia. Empregos para garçons, renda para flanelinhas, técnicos de som, cozinheiros, etc.

O Projeto Clube do Choro Recebe, agora sediado no bairro da Praia Grande, cenário histórico de importância e beleza ímpares, cumpre mais um relevante papel. O de valorizar o patrimônio arquitetônico e cultural da Cidade. No momento em que a Praia Grande vive um certo sucateamento, um intencional abandono, a presença do Projeto ajuda a colorir sonoramente e a ocupar aquele encantador logradouro, com a mais brasileira e universal das músicas, o Choro. Também um Patrimônio Cultural Brasileiro, a ser ainda reconhecido. Espera-se.

Para comemorar a centésima edição, uma atração especial. Leia no texto abaixo, do jornalista Zema Ribeiro, assessor de imprensa do Projeto, o anúncio do sarau do próximo sábado:

CLUBE DO CHORO RECEBE COMPLETA 100 EDIÇÕES

Data marcante será celebrada com a visita da cantora cearense Fhátima Santos, convidada de sábado (31) do projeto.

O projeto Clube do Choro Recebe completa 100 edições neste sábado, 31. A marca especial será celebrada com a voz e a presença de palco marcantes da cantora cearense nascida em Alagoas Fhátima Santos, que será recebida, na ocasião, pelos bambas do Instrumental Pixinguinha: Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Nonatinho (pandeiro) e Raimundo Luiz (bandolim e rabeca).

“Esse projeto tem uma importância sem tamanho para oxigenar a música no Maranhão e para tornar mais bela a nossa cidade. Os músicos, a partir dele, começaram a ter um olhar mais amplo sobre os resultados para o coletivo, para o movimento choro, de como isso tem gerado resultados para todos, já que não é um projeto com dono: é de todos nós que gostamos de choro e de boa música em geral”, afirma Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe – e do Chorinhos e Chorões, único programa de rádio maranhense dedicado ao gênero, que vai ao ar aos domingos, às 9h, na Rádio Universidade FM (106,9MHz, audível on-line e em tempo real também pelo site http://www.universidadefm.ufma.br/).

Fhátima Santos, a grande voz do Ceará

A convidada da 100ª. edição do Clube do Choro Recebe é uma das mais versáteis intérpretes da noite da capital alencarina. “Musa dos notívagos”, para o jornalista Laécio Ricardo, Fhátima Santos passeia entre o romântico, o samba, o blues, o jazz e o bolero. Com a mesma desenvoltura e talento. No repertório de sábado, entre outros, compositores como Chico Buarque – a quem dedicou um disco inteiro – Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Noel Rosa e Cartola. O Instrumental Pixinguinha foi o primeiro grupamento maranhense de choro a gravar um disco completamente dedicado ao mais brasileiro de todos os gêneros musicais: Choros maranhenses (2006) registra composições de seus próprios integrantes e de mestre do gênero, todos nascidos no Maranhão. É a segunda vez que Fhátima Santos se apresenta no Clube do Choro Recebe. O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 100ª. edição.Quem: o Instrumental Pixinguinha recebe a cantora cearense Fhátima Santos.Quando: dia 31 de outubro (sábado), às 19h30min.Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).Quanto: R$ 10,00 (entrada).Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.comApoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

Anúncios

Juntos, o choro e o pop, na Praia Grande


Tássia Campos é a artista convidada do grupo Um a Zero, neste sábado,17 de outubro, em mais um sarau do projeto Clube do Choro Recebe.

Se o grupo Um a Zero é um dos mais jovens da cena choro de São Luís, tocando com inventividade os grandes clássicos do choro, a cantora Tássia Campos é também uma das melhores novidades da nossa música cantada na atualidade.

Influenciada pela música pop, Tássia já vem há algum tempo desfilando seu talento pelos palcos de São Luís. A primeira vez que a vi cantar, apresentada por Gilberto Mineiro, do Cia da Música, da Rádio Universidade FM, foi em um show no antigo Armazém da Estrela.

Tássia cantava acompanhada, se não me falha a memória, por João Paulo no baixo; Jair Torres no violão e guitarra e Carlos Pial na percussão. Um ar um tanto descolado, levemente desconsertante, fazia soar meio despretensioso, para uma voz afinada de um cantar modernizante, essa foi a impressão que tive na ocasião.


Tássia Campos está nos preparativos do seu primeiro CD, que pelos andar da carruagem promete muito. Leia o texto, abaixo, de Zema Ribeiro anunciando o próximo sarau do projeto Clube do Choro Recebe.

O CLUBE DO NOVO
by Zemaribeiro

Novo endereço garante charme extra ao Clube do Choro Recebe. Sábado (17), o projeto apresenta a cantora Tássia Campos, pela primeira vez em seu palco.

O espaço é menor, garantindo mais aconchego. A arquitetura colonial de um dos prédios que formam o conjunto do patrimônio histórico da capital maranhense, garantindo-lhe o título de patrimônio cultural da humanidade, por seu centro histórico, dão, desde sábado passado, ao Clube do Choro Recebe, um charme extra.

Estamos falando da Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria, localizada na Rua do Giz, Praia Grande. “A casa já tinha fama de aconchegante, a pousada está entre as melhores da Ilha, e a pizzaria dispõe de um cardápio variadíssimo, de qualidade, cada pizza mais gostosa que a outra”, atestou Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe.

Na estreia do projeto em novo endereço, o Regional Tira-Teima fez a base instrumental, servindo de grupo anfitrião. Como convidado, o clarinetista e saxofonista Fernando Machado, radicado em Brasília, professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabelo. Pelo palco passaram ainda os percussionistas Lazico, Arlindo Carvalho, a cantora Lena Machado, o cantor Zé Carlos (percussionista do Tira-Teima) e o compositor Joãozinho Ribeiro, ex-secretário de estado da cultura, atualmente coordenador executivo da II Conferência Nacional de Cultura, pelo Ministério da Cultura.

A cantora Tássia Campos é a convidada da 98ª. edição do Clube do Choro Recebe, a segunda do projeto no novo palco, quando será recebida pelos bambas do Regional Um a Zero. A apresentação acontece sábado (17), às 19h30min. Natural de São Luís, com 23 anos de idade, e com raras apresentações em diversos bares da Ilha desde os 16, Tássia Campos, casada com o músico João Paulo (contrabaixista da banda Legenda), está às voltas com a gravação de seu primeiro disco, de repertório completamente inédito – a previsão de lançamento é o início de 2010. Suas influências vão dos mestres tropicalistas a Sidney Magal, passando por Novos Baianos e novos nomes da cena brasileira, como Otto, Céu e Zeca Baleiro, entre muitos outros. Ao lado da amiga Elen Mateus – que fará uma participação especial, sábado –, Tássia também está envolvida em um projeto bastante ousado: prestar, em São Luís, tributos a Itamar Assumpção (1949-2003) e Sérgio Sampaio (1947-1994), ditos malditos, dois dos mais geniais compositores que o Brasil já teve. Para sábado, em sua primeira apresentação no Clube do Choro Recebe, Tássia Campos preparou um repertório de primeira – onde deixa claras suas influências: Tom Jobim, Moreno Veloso, Ismael Silva, Cartola, Ivan Lins e, entre outros, Itamar Assumpção. O Regional Um a Zero, que a acompanhará, é formado por Henrique Jr. (violão), João Neto (flauta), Léo Caroço (pandeiro) e Roquinho (bandolim e cavaquinho). O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 98ª. edição.Quem: o Regional Um a Zero recebe a cantora Tássia Campos.Quando: dia 17 de outubro (sábado), às 19h30min.Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).Quanto: R$ 10,00 (entrada).Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.comApoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM. Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

Buriticupu de fogo (e bala): militantes sociais ameaçados de morte

Ameaça de morte a militantes sociais, destruição da floresta, trabalho infantil, violência nas ruas, assaltos rotineiros a banco, envolvimento de políticos e autoridades com a criminalidade, dentre outros desmandos, é o clima que marca o município de Buriticupu, na pré amazônia maranhense.
Buriticupu, é um “belo” exemplo do quadro trágico de violação generalizada dos Direitos Humanos, que o atual modelo de “desenvolvimento” suscita. Só mesmo vendo. Uma simples filmagem na cidade já é motivo de perseguição e ameaça de morte. Há alguns meses, dois jovens documentaristas que faziam umas imagens naquela cidade foram perseguidos em alta velocidade por jagunços e madeireiros armados até os dentes, pelas ruas e pela perigosa estrada da região. Escaparam por pouco, graças a habilidade ao volante de um dos jovens cinegrafistas. Mas ainda assim, na delegacia de Buriticupu, acabaram quase criminalizados pelos policiais de plantão, escandolasamente cúmplices dos perseguidores.
Já não se tem mais a quem recorrer em Buriticupu. Os militantes da Cáritas, da Rede de Educação Cidadã e do Fórum de Políticas Públicas, depois de participarem do processo de mobilização e denúncia, que resultou na Operação Arco de Fogo, agora correm risco de morte. Estão sendo ameaçados por madeireiros e/ou políticos da cidade. Gente da cadeia produtiva da morte e da destruição.
A Cáritas Brasileira Regional Maranhão se pronunciou em nota, cobrando das autoridades proteção aos ameaçados:
NOTA

AGENTES CÁRITAS AMEAÇADOS DE MORTE

Cáritas Brasileira aponta “quadro trágico, vergonhoso e insustentável, fruto de um conjunto de fatores, entre os quais a ausência do poder público e de políticas públicas” em Buriticupu.

Sob o comando do Ministério do Meio Ambiente, a Operação Arco de Fogo, deflagrada para coibir desmatamentos e a extração ilegal de madeira, entre outros crimes ambientais, representantes de diversos ministérios, do IBAMA e da Polícia Federal, estiveram em agosto no município de Buriticupu/MA. Na ocasião, o Fórum de Políticas Públicas daquele município denunciou as ações criminosas de madeireiros, incluindo os senhores Antônio Marcos de Oliveira, vulgo Primo, prefeito municipal, e seu sócio José Mansueto de Oliveira, presidente da Câmara Municipal de vereadores.

Com a retirada da operação e de todo o seu aparato de segurança, funcionários do IBAMA evadiram-se da cidade, permitindo assim a retirada do lacre das madeireiras e seu retorno ao funcionamento normal, continuando o trágico quadro de crimes contra o meio ambiente, seja pela extração ilegal de madeira, poluição, geração de resíduos e proliferação de doenças, entre outros.

O envolvimento de autoridades com criminosos, ou o cometimento de delitos pelas próprias, contribui para um quadro de descrédito nas instituições, por parte da população, que busca fazer justiça com as próprias mãos, aumentando os alarmantes índices de violência – só após a passagem da operação Arco de Fogo, quatro jovens foram assassinados em Buriticupu.

Lideranças do Fórum de Políticas Públicas de Buriticupu/MA, integrado por representantes da Cáritas Diocesana de Viana e Rede de Educação Cidadã, entre outras, têm sofrido ameaças de morte. Naíza Gomes de Sousa Abreu, agente da Cáritas Diocesana de Viana e membro do Fórum de Políticas Públicas, após receber diversos recados, resolveu, forçada, deixar família, trabalho, seu cotidiano, saindo da cidade.

Diante do quadro trágico, vergonhoso e insustentável, fruto de um conjunto de fatores, entre os quais a ausência do poder público e de políticas públicas, a Cáritas Brasileira Regional Maranhão vem a público denunciar estes mais recentes acontecimentos e cobrar providências por parte das autoridades competentes – poderes executivo, legislativo e judiciário –, nas esferas federal e estadual. A garantia de vida destes cidadãos e cidadãs por parte das autoridades é mais que urgente.

Faz-se necessária uma intervenção em Buriticupu – para além de uma bissexta operação. Diante do imperativo ético revelado pela Igreja Católica ao afirmar que “a paz é fruto da justiça” – tema de sua Campanha da Fraternidade em 2009 –, a Cáritas Brasileira Regional Maranhão denuncia a ausência do Estado brasileiro assegurador da ordem pública e garantidor do direito fundamental à vida no município de Buriticupu/MA e exige apuração e punição imediata para os agentes públicos que encobrem, incentivam e/ou praticam crimes contra o meio ambiente e a vida de quem lá reside.

Coordenação Colegiada
Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Clube do Choro Recebe na Praia Grande


novo banner de fundo de palco do projeto clube do choro recebe

Depois de algumas semanas afastado das postagens por aqui, ainda enferrujado e meio cambaleante, estou parcialmente de volta.

O envolvimento intenso em diversos processos de mobilização social por conta do meu trabalho na Cáritas Brasileira e estudos acadêmicos, me impediram de me manifestar com regularidade neste espaço. Peço desculpas aos leitores e permissão para retornar postando um texto do assessor de comunicação do Clube do Choro, jornalista Zema Ribeiro, dando conta da mudança de endereço do Projeto Clube do Choro Recebe para a Praia Grande, mais precisamente para a pousada Portas da Amazônia, na rua do Giz, quase canto com a Faustina. Veja abaixo o texto do escriba oficial do Clube.

Clube do Choro Recebe muda de endereço
By zemaribeiro

Diversos grupos ludovicenses receberão o músico Fernando Machado, em edição que marca a mudança de endereço do projeto.

Um tributo especial ao mais brasileiro de todos os gêneros. Assim pode ser definido o 97º. sarau do Clube do Choro Recebe, que marca a mudança de endereço do projeto: os encontros semanais do Clube do Choro do Maranhão passarão a acontecer, a partir de sábado (10), na Pousada Portas da Amazônia/La Pizzeria, na Rua do Giz, Praia Grande.

Em caráter especial, marcando a estreia do Clube do Choro Recebe no cenário do casario e paralelepípedos do bairro do centro histórico da capital maranhense, o convidado será o clarinetista e saxofonista Fernando Machado, radicado na capital federal, onde é assíduo frequentador do Clube do Choro de Brasília.

O músico, que já deu canja especialíssima em sarau do Clube do Choro Recebe e volta agora como convidado, é professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello e membro fundador do Quarteto de Saxofones de Brasília, do Quarteto de Clarinetas Cana Seca e da Brasília Popular Orquestra, além de já ter tocado com diversos nomes importantes da música brasileira, a exemplo do homônimo segundo disco solo da cantora Luciana Oliveira (2008), ela, integrante da Natiruts, e Clodo Ferreira interpreta Sinhô (2005), homenagem do piauiense radicado em Brasília ao autor de Jura, Maldito costume e Gosto que me enrosco, entre outros clássicos da música brasileira.

Fernando Machado será acompanhado por diversas formações instrumentais da cena choro ludovicense, numa inversão à lógica estabelecida pelo projeto: o convidado será o anfitrião dos grupos, que se apresentarão como se dessem longas canjas. “Trata-se de um músico monumental e essa troca de experiência entre ele e os instrumentistas maranhenses será boa para ambos os lados, temos certeza. O desfile de nossos grupos é também uma forma de mostrarmos que o Clube do Choro do Maranhão, a cena choro do estado, através desse projeto vitorioso, está cada vez mais fortalecida”, celebra Ricarte Almeida Santos, coordenador e apresentador do projeto, produtor e apresentador do Chorinhos e Chorões (Rádio Universidade FM, 106,9MHz, aos domingos, às 9h), único programa de rádio dedicado ao gênero em São Luís.

Entre os grupos confirmados estão o Instrumental Pixinguinha, Regional Tira-Teima, Choro Pungado, Os Cinco Companheiros e Urubu Malandro. Antes das apresentações, a noite será aberta com a exibição de um documentário sobre Canhoto da Paraíba, importante personagem da música brasileira e, particularmente do choro, registrado em disco por Marcus Pereira, como outros gênios nacionais.
O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO
O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 97ª. edição.Quem: diversos grupos instrumentais recebem o clarinetista e saxofonista Fernando Machado, radicado em Brasília. Antes, haverá exibição de documentário sobre Canhoto da Paraíba.Quando: dia 10 de outubro (sábado), às 19h30min.Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).Quanto: entrada franca, em caráter excepcional. R$ 10,00, a partir do próximo sábado.Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com, ricochoro@hotmail.comApoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade