Arquivo do mês: maio 2011

Participe: XI Semana de Comunicação

http://www.semanacomunica.ufma.br

Anúncios

"Esselentíssimo" Juiz

É sabido por todos que as autoridades jurisdicionais, com especialíssimo zelo, nossos nobres magistrados, gostam de receber as mais altas distinções. Sobre isso sugiro a leitura do texto “Chega de Excelências, senhores”, de Fausto Rodrigues de Lima, promotor de Justiça do Distrito Federal, postado no blog diário de luta.

A propósito deste texto, comentando no blog do jornalista Itevaldo Júnior, que também o publicou, escrevi um “episódio”, um “causo” das rodas populares, que ilustra um pouco esse cuidado pelas honrarias, mas que também revela outra faceta da nossa magistratura, a lentidão e a, consequente, pouca produtividade do nosso judiciário. Se não, como explicar a realização de tantos mutirões da “justiça”?

Seguramente, tá faltando excelência na prestação do serviço!

Vamos à historinha:

Um jovem advogado, já cansado da demora no andamento de seu processo numa comarca do interior, resolveu na próxima petição ecrever assim ao juiz “Esselentíssimo Sr. Juiz…”

O “nobre” e “culto” magistrado, quando recebeu o documento, que viu a grafia do “esselentíssimo”, ficou furioso com o erro grosseiro do advogado.

Já na próxima audiência, quando pôde encontrar o jovem causídico, não perdeu a oportunidade de alfinetá-lo. Pega o processo e abre na altura da petição e dispara, “Dr. vejo que o senhor, um advogado, não sabe nem escrever corretamente pronomes de tratamento. Como pôde concluir o curso de direito, passar na prova da OAB? “Esselentíssimo” dessa forma que senhor escreveu é um absurdo, um erro imperdoável!”, bradou o magistrado em alta e imperiosa voz, bem ao estilo.

O jovem advogado, calmamente lhe responde, “Dr, claro que sei como escrever excelentíssimo. Na verdade, é que Vossa Excelência quase não aparece na comarca e de tanta demora sua em despachar o processo, queria fazer-lhe uma “homenagem”: Em vez de Excelentíssimo, achei mais apropriado, ESSE LENTÍSSIMO JUIZ”.

[imagem extraída do site: http://blogdamariazinha.wordpress.com/2010/04/24/imagens-da-semana-iv-justica-lenta/]

D. Belisário é eleito vice-presidente da CNBB

O arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário da Silva é o novo vice-presidente da CNBB. Ele foi eleito na manhã de hoje, no segundo escrutínio, com 215 votos, durante a 49ª Assembleia da CNBB, que acontece em Aparecida (SP), desde quarta-feira, 4.

Na primeira votação, dom Belisário alcançou 167 votos, mas eram necessário 183, equivalentes a dois terços do total de 274 votantes. Em segundo lugar ficou o arcebispo de Londrina (PA), com 18 votos.
Dom Belisário presidiu a Comissão que elaborou as novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE), aprovadas ontem pela Assembleia.

Biografia no novo vice-presidente

Dom Belisário nasceu em 1945, em Carmópolis (MG). Foi ordenado padre em 1969 e bispo (2000) em sua terra natal.

Estudou Filosofia no Convento São Boaventura, em Dalto Filho (RS) e Teologia, no Instituto Central de Filosofia e Teologia da Universidade Católica de Minas Gerais.

Foi vigário Paroquial, Reitor do Seminário Santo Antônio de Santo Dumont (MG), Definidor e Ecônomo Provincial, Professor de disciplinas em nível de 2º grau, professor de Psicologia Educacional em nível de 3º grau, Formador e Mestre de frades de profissão temporária. Antes de ser nomeado arcebispo de São Luiz, dom Belizário foi bispo de Bacabal (MA) de 2000 a 2005.

Seu lema episcopal é: “Invisibilem Tamquam Videns” (Como se visse o invisível)

[texto da assessria de imprensa da CNBB: http://www.cnbb.org.br/site/eventos/assembleia-geral/6520-dom-belisario-e-eleito-vice-presidente-da-cnbb%5D.

.

"Onde se toca empada também se come choro"

Choro volta a ter endereço em São Luís*

Toca da Empada oferecerá ao público série Na Toca do Choro, às sextas-feiras.

Apreciadores de choro em São Luís têm o que comemorar: a Toca da Empada é o novo palco da boa música instrumental na capital maranhense. Na Toca do Choro, série de apresentações que será oferecida pela casa, tem estreia na próxima sexta-feira, 6 de maio, às 19h.

Formado pelos músicos João Eudes (violão sete cordas), João Neto (flauta), Wanderson (percussão) e Wendell Cosme (cavaquinho), o Regional Azeitona Brasileira será o primeiro grupo a esbanjar talento e versatilidade no novo palco.

“Onde se toca empada também se come choro”. O slogan pensado por Ricarte Almeida Santos, cuja alcunha no meio chorão da Ilha é “embaixador”, anuncia apenas parte do que prometem as noites de sexta-feira já a partir da próxima: boa música, ambiente aconchegante, cerveja gelada, as deliciosas e já conhecidas empadas da Toca, e um variado cardápio de petiscos, comidinha de boteco, frios e embutidos.

O bom e velho Pixinga será lembrado na estreia da “Na Toca do Choro”. Foto: Google Images
No repertório da noite, destaque para clássicos da música instrumental, para chorão nenhum botar defeito. Peças de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, João Pernambuco e Joaquim Calado, entre outros, darão o tom da noite.

O couvert artístico individual é de apenas R$ 5,00. A Toca da Empada fica no Edifício Executive Center (Rua Queóps, Renascença, ao lado da Locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Regional Azeitona Brasileira: João Eudes (violão sete cordas), João Neto (flauta), Wanderson (percussão) e Wendell Cosme (cavaquinho).
Quando: sexta-feira, 6 de maio.
Onde: Toca da Empada: Edifício Executive Center (Rua Queóps, Renascença, ao lado da Locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: (98) 8888-3722, clubedochorodomaranhao@gmail.com

*Por zemaribeiro – assessor de imprensa